sem comentários ainda

FOME POR ALGO SAUDÁVEL

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” (Mt 5.6).

Nesta bem-aventurança, Jesus mostra a necessidade de termos fome e sede por algo valioso, a justiça! É importante perceber que Jesus destaca a justiça no sermão do monte, afirmando que devemos sofrer por causa dela (Mt 5.10), que precisamos ter uma justiça que exceda em muitos a dos “religiosos” (Mt 5.20), que não devemos exercer esta justiça com intuito de sermos reconhecido pelas pessoas (Mt 6.1) e que precisamos buscá-la em primeiro lugar crendo que as demais coisas serão acrescentadas (Mt 6.33). Outro aspecto que mostra a importância da justiça são as figuras que Jesus usa para expressar o quanto precisamos desejá-la: Fome e sede! São necessidades básicas e não desejos periféricos. Todavia precisamos entender bem no que consiste esta fome e sede de justiça.

  1. É UMA FOME INCAPAZ DE SER SACIADA POR NÓS MESMOS

Boa parte de nós queremos viver em um mundo justo, porém por mais que nos esforcemos, percebemos que não conseguimos estabelecer plenamente a justiça. Pois nós mesmos somos praticantes de injustiça. Aliás, constantemente quebramos a lei do criador de todas as coisas. Isaías nos lembra que as nossas boas obras não passam de trapos de imundícia (Is 64.6). Paulo afirma categoricamente que não há nenhum justo sequer (Rm 3.10)! Assim, constatamos que não podemos saciar esta fome por justiça sozinhos pois, embora ela seja real, nós somos o grande obstáculo para alcançá-la.

  1. UMA FOME QUE É SACIADA POR DEUS EM CRISTO

A boa notícia é que podemos ser fartos de justiça! Não aquela conquistada por nós, mas imputada a nós por Deus na pessoa de Jesus Cristo. Esta é a grande notícia do evangelho: a justiça de Deus foi manifestada em Cristo! Por isso que, já no Antigo Testamento, a obra de Jesus é descrita como sendo a obra do justo sofrendo por injustos para justificá-los (Is 53.11). O messias é chamado de “Justiça nossa” (Jr 23.5-6). Interessante que esta justiça atribuída a nós por causa de Cristo nos torna justos diante de Deus (Rm 5.1), de modo que passamos a desfrutar de um relacionamento maravilhoso com Deus Pai a ponto de sermos chamados filhos de Deus! Este relacionamento nos constrange e através da obra do Espírito Santo em nós há também uma mudança em nossos desejos. Passamos a amar a prática da justiça e buscá-la em tudo o que fazemos, mesmo que ainda não de forma total, pois há ainda o velho homem que continua manchado pelo pecado! É nesta etapa que fica a sensação de que ainda não vemos em nós toda a justiça que Deus já considera como nossa.

  1. UMA FOME QUE SERÁ PLENAMENTE SACIADA NOS NOVOS CÉUS E NOVA TERRA

A Bíblia promete que haverá um lugar em que habitará a justiça: os novos céus e a nova terra (2Pe 3.13). Somente quando Jesus voltar seremos plenamente saciados desta fome por justiça. A Guerra que vivemos hoje conosco mesmo será pacificada, pois o velho homem estará completamente morto. O pecado já não estará em nós e nem nas pessoas com quem viveremos. Só haverá relacionamentos justos! Além disso, a própria criação não estará mais debaixo da maldição do pecado, mas em perfeita harmonia (Rm 8.18-23), pois as primeiras coisas já passaram e tudo se fez novo! Não sejamos céticos pensando que a injustiça sempre prevalecerá, mas também não sejamos utópicos de esperar a justiça ser estabelecida por partidos políticos ou ideologias humanas. Que possamos desejar a justiça que será estabelecida pelo verdadeiro REI, Jesus Cristo! Afinal, Ele é o Pão Vivo que desceu do céu para saciar todos aqueles que comerem Dele. Ele é o Grande Rei que faz um banquete com os seus súditos. Seja hoje verdadeiramente feliz, tenha fome daquilo que realmente é saudável: a Justiça, pois bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” (Mt 5.6).

Rev. Thiago de Souza Dias

Publicar um comentário